Resultados 1 a 8 de 8
  1. #1
    Nível 37: Membro do clube de xadrez Avatar de carlosr22b
    Desde
    Dec 2016
    Localização
    São Paulo
    Posts
    327

    Por que esses incríveis consoles fracassaram terrivelmente

    Existem poucos tipos de produtos eletrônicos que têm altos eufóricos e baixos subterrâneos como os videogames. Desde que o Magnavox Odyssey foi plugado na primeira TV em 1972, trazendo pong para as massas, consoles de videogame têm lutado pela nossa atenção.

    Algumas empresas se deram muito bem. Atari, Nintendo, Sony e até a Microsoft mudaram como nós pensamos e interagimos com videogames. Mas, embora existam grandes casos de sucesso no mercado dos consoles de videogame, também existem fracassos inomináveis, sistemas tão mal concebidos, mal planejados ou terrivelmente anunciados que estavam fadados a ir para a pilha de lixo eletrônico assim que surgiram. Aqui estão alguns deles.

    Philips Videopac +G7400




    Em 1983, o mercado dos videogames quebrou. Foi um evento tão catastrófico que quase levou todos os fabricantes de videogame junto. Um console cancelado assim que o mercado caiu foi o Magnavox Odyssey 3 “Command Center”. Ele seria incrível, para 1983: ricos gráficos 8-bit, um modem 300 baud e chaves mecânicas.

    O console foi mostrado na CES, onde a Magnavox declarou que estava “pronta para mudar o nome do jogo”. Mas a Magnavox foi forçada a matar o console antes de ele chegar aos EUA. Isso não dissuadiu a companhia mãe Philips. Os donos tanto da marca Magnavox quanto da Odyssey decidiram que um colapso econômico dos videogames nos EUA não tinha que acabar com tudo.

    Eles lançaram o Philips Videopac +7400 no Reino Unido e França. Seu lançamento europeu extremamente limitado deu um golpe duro na Philips, mas não destruiu completamente a divisão de videogames dele. Oito anos depois, a Philips lançaria um dos piores consoles já vistos: o Philips CD-i. Além de ser tuim o CD-i também é o único console que não é da Nintendo a ter um jogo da série Zelda. Tendo jogado tanto Zelda: The Wand of Gamelon quanto Link: The Faces of Evil para o CD-i eu posso seguramente dizer que isso não é uma coisa boa.

    3DO



    O fundador da Electronic Arts, Trip Hawkins, teve um sonho no final dos anos 1980. Ele mudaria completamente a indústria do videogame. Ao invés de fabricantes de console mandarem no jogo, agora seria a vez dos caras do software. Empresas de hardware poderiam licenciar a tecnologia e construir os consoles que rodassem uma imensa biblioteca de jogos, e os custos dos jogos seriam baixos, incentivando-os a desenvolver para a plataforma 3DO ao invés dos competidores como a Nintendo ou a Sega.

    Foi uma ideia interessante, que parece incrivelmente amigável aos artistas comparada à grande máquina de jogos que a EA virou nos últimos 30 anos. E era muito aguardado. Hawkins disse à Computer Gaming World que seria compatível com HDTV e até pronto para servir às funções que agora temos nas smart TVs:

    “Se você acha que viu gráficos, espere até você checar os visuais de cair o queixo oferecidos por esse sistema interativo, que está parecendo que será um dos principais veículos da superestrada da informação.”

    Atari Jaguar


    Quando o Atari Jaguar chegou, em 1993, foi durante uma das piores guerras de console que a indústria já havia visto. O Super Nintendo e o Mega Drive estavam lutando nas lojas e nos recreios, e o 3DO estava tentando, bem mal, deixar sua marca. A Atari tinha certeza de que seu Jaguar, o primeiro console de 64-bits já vendido, iria ganhar apenas com sua potência.

    “Tudo o que você vê que se move vai ser em 3D”, um representante da Atari disse ao New York Times. O console foi lançado com uma semana de atraso, quando ele finalmente foi enviado para os mercados de todos os EUA no começo de 1994.



    Consumidores não ficaram empolgados com a potência do Jaguar ou com os comerciais engraçadinhos e se mativeram distantes, o que levou a poucos desenvolvedores de jogos desenvolverem de fato para o sistema. “Tem sido desequilibrado”, o então CEO Sam Tramiel disse à Next Generation em 1995. “Tem havido alguns jogos incríveis e alguns não tão incríveis.”

    Também tinha um tocador de CD, um headset de realidade virtual e um Jaguar 2, que Tramiel esperava ser lançado em 1996. Mas, como ele admitiu na Next Generation, a Atari estava perdendo dinheiro com o Jaguar, tanto dinheiro que a Atari foi obrigada a fundir com a JT Storage em 1996 e foi vendida para a Hasbro em 1998.

    Nintendo 64DD



    A Nintendo fez algumas escolhas ruins, sendo Virtual Boy e Wii U dois dos melhores exemplos de suas falhas. Mas o Virtual Boy falhou porque era ambicioso de mais, e o Wii U sofreu por causa de um lançamento falho e um controle esquisito. Mas somente o 64DD falhou por estar à frente do seu tempo. Consumidores e designers simplesmente não conseguiam entender o que o 64DD era capaz de fazer.

    Enquanto a Sony estava insistindo em CD-ROMs como o futuro dos videogames (a Sony estava certa), a Nintendo insistiu que era necessário espaço para armazenamento nos sistemas (a Nintendo também estava certa). O 64DD era um periférico do Nintendo 64. Ele lia dispositivos de armazenamento magnético que pareciam grandes disquetes. Ele também podia inserir dados nos discos de armazenamento, apesar de ser mais lento do que um cartucho de 64. O maior atrativo, para a Nintendo, era que ele conseguia armazenar mais dados e era mais barato do que um cartucho de 64. Isso devia dar mais flexibilidade aos desenvolvedores de jogos. Um jogo lançado no Japão permitia às pessoas subir imagens de seus rostos para criar avatares Mii rudimentares. Infelizmente os desenvolvedores de jogos também não conseguiram colocar as mãos no N64DD. Apenas dez títulos foram lançados, e somente cerca de 15 mil 64DDs foram vendidos.

    Nokia N-Gage



    A Nokia está fazendo bastante barulho atualmente ao abraçar a terrível moda da nostalgia tecnológica, lançando o Nokia 3310. Esperamos que a companhia não tente recuperar qualquer magia do N-Gage também. Principalmente porque era um dispositivo horroroso.

    Fazia muito sentido no papel. Em 2003, a Nokia era um gigante dos dispositivos móveis, e um passo natural seria combinar seu excelente design de telefones com um sistema de jogos tão bom quanto o bem estabelecido e criticamente reconhecido Gameboy Advance. Por mais que a Nintendo tivesse dilacerado todos os seus concorrentes em videogames portáteis anteriores, a conta parecia bater. A Nokia podia enfrentar a Nintendo.

    Em 2003, o estimado blog de gadgets Gizmodo disse: “Se ele conseguir promover jogos facilmente contra outras pessoas na internet, o N-Gage pode na verdade ter uma chance de sucesso.”

    Mas o N-Gage era terrível. Aquele ano, seu estande na E3, a principal vitrine de videogames dos Estados Unidos, tinha o tapete mais confortável do Staples Center, porque ninguém estava andando em cima deles. A Nokia foi vista como uma piada pela comunidade de videogames, e a esquisitice, enxergada como cara demais para um consumidor comum de celulares. Quando Brian Lam escreveu um duro obituário para o dispositivo no Gizmodo, seis anos após seu lançamento, ele comentou que o aparelho teve “uma vida sem sentido”.

    GIZMODO

  2. #2
    Bom que, depois de uns erros, a Nintendo emplacou o Switch!
    Mas esse vídeo aí do 64DD é ótimo hahahaha
    Precisa de ajuda? É fácil!
    Basta falar com a coordenadora do Fórum, a @_Bruna

  3. #3
    Citação Postado originalmente por angelojunior Ver Post
    Bom que, depois de uns erros, a Nintendo emplacou o Switch!
    Mas esse vídeo aí do 64DD é ótimo hahahaha
    Bom, o Switch ainda não conheço mais o Wii U é dms!

    - - - Updated - - -

    Poxa, eu comentei antes de ler a matéria, nossa não acho o controle do Wii U esquisito kkkkkkkkk

  4. #4
    Citação Postado originalmente por Boqertov Ver Post
    Bom, o Switch ainda não conheço mais o Wii U é dms!

    - - - Updated - - -

    Poxa, eu comentei antes de ler a matéria, nossa não acho o controle do Wii U esquisito kkkkkkkkk
    Eu também adoro o Wii U! E me acostumei com o Gamepad... não vejo mais problemas nele.
    No começo, achei um pouco pesado só. Mas os jogos são ótimos!
    Precisa de ajuda? É fácil!
    Basta falar com a coordenadora do Fórum, a @_Bruna

  5. #5
    Nível 43: Carteirinha de estudante Avatar de Deystan
    Desde
    Dec 2016
    Localização
    Vila Velha
    Posts
    1.633
    Desses ai , só joguei o 64DD os outros não tive oportunidade , eu costumo avaliar pela jogabilidade (dos jogos + controle), assim sei o que é bom pra minha pessoa ou não rs.
    Instagram - correarodrigues_ segue lá

    To precisando de um celular ... Alguém quer enviar ?

  6. #6
    Nível 39: O Sexto Sentido Avatar de guvga25
    Desde
    Sep 2018
    Localização
    Minas Gerais
    Posts
    1.598
    Bons tempos de infancia de Super Nintendo, adorava jogar com a minha mãe.
    Funcionário VIVO

    *Opiniões e informações expressas neste perfil não expressam as opiniões oficiais da empresa.

  7. #7
    Celulares Nokia eram fantásticos, totalmente de plástico (poucas excessões) mas incrivelmente resistentes. Cada semestre uma geração com design totalmente novo (até de gosto duvidoso). Faz falta.
    Você quer ganhar 2GB ao ativar o novo plano Vivo Easy? Basta inserir meu código abaixo.
    Código: QUERO2GIGA

  8. #8
    Nível 39: O Sexto Sentido Avatar de guvga25
    Desde
    Sep 2018
    Localização
    Minas Gerais
    Posts
    1.598

    Celulares Nokia eram uma febre

    Minha mãe teve um modelo nos anos 2000 que era o 3310 ela um celular imenso e pesado haha eu adorava jogar o SNAKE entre outros joguinhos.
    Funcionário VIVO

    *Opiniões e informações expressas neste perfil não expressam as opiniões oficiais da empresa.