Resultados 1 a 2 de 2

Modo Híbrido

  1. #1

    [O FUTURO] Automação Residencial: Como serão as casas inteligentes daqui a 10 anos?

    São seis horas da manhã e o despertador toca mais cedo do que o habitual.
    Não é um mau funcionamento: o relógio inteligente examinou sua programação e se ajustou porque você tem aquela grande apresentação logo de manhã. Seu chuveiro liga e aquece automaticamente para os seu banho a 32° C preferido.

    O carro elétrico está pronto para e carregado, carregado pelos painéis solares ou pela turbina eólica no teto de sua casa.

    Quando você chega em casa mais tarde, há um pacote inesperado te esperando, entregue por drone.
    Você abre para e encontra remédios para resfriado. Acontece que os sensores de saúde embutidos no banheiro detectaram sinais de uma doença iminente e fizeram um pedido automaticamente. Ainda bem que você já eliminou a apresentação do parque.

    Essa, pelo menos, é a versão utópica da casa inteligente que existe há 10 anos.
    A empresa sueca de pesquisa Berg Insight diz que 63 milhões de residências americanas se qualificarão como "inteligentes" até 2022, com tudo, desde lâmpadas conectadas à Internet a câmeras que nos permitem espionar nossos animais de estimação no escritório (havia quase 130 milhões de residências nos EUA em total em 2018).

    Mas daqui a uma década, dizem os especialistas, passaremos de ligar e desligar as luzes com nossas vozes para a imersão total na Internet das Coisas (IoT). Graças aos avanços na inteligência artificial, as casas mais inteligentes poderão realmente aprender sobre seus proprietários ou ocupantes, antecipando suas necessidades. A evolução da robótica nos dará máquinas que oferecem uma ajuda na limpeza, culinária e muito mais. Novos sensores acompanharão nosso bem-estar.

    Toda a atenção automatizada terá um preço alto: os consumidores gastarão US$ 123 bilhões em equipamentos de IoT até 2021, de acordo com a empresa de consultoria ABI Research, um número que provavelmente aumentará a partir de então. Além dos televisores conectados à Internet, os fabricantes estão colocando seus orçamentos de P&D e marketing atrás dos aparelhos de monitoramento e segurança em casa - eles terão 22,6% da participação no mercado de residências inteligentes até 2023, estima a empresa de pesquisa IDC, com alto-falantes e equipamentos de iluminação inteligentes. muito atrás, em 15,4% e 11,8%, respectivamente.

    Já existem pelo menos 7 bilhões de dispositivos IoT conectados, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado IoT Analytics. Porém, à medida que a tecnologia de residências inteligentes se torna mais fácil de usar e seus benefícios se tornam mais claros, o setor está pronto para decolar.

    A segurança das casa inteligentes

    Obviamente, à medida que nossas casas aprendem mais sobre nós, mantê-las seguras se tornará ainda mais importante. Todo dispositivo conectado à Internet é um alvo em potencial para hackers. Quando falamos de dispositivos que podem destrancar nossas casas de longe, espiar nossas salas de estar usando câmeras e coletar nossos dados mais sensíveis e pessoais, a cibersegurança se tornará ainda mais vital.
    Qualquer tipo de violação maciça que desestimula os consumidores, diz Daniel Cooley, diretor de estratégia da fabricante de componentes eletrônicos Silicon Labs, pode ser catastrófico para o setor. "Eu chamo de evento de extinção em massa para a Internet das Coisas", diz ele.

    Uma série de desenvolvimentos tecnológicos impulsionará a tecnologia de residências inteligentes muito além do que está disponível nas prateleiras das lojas hoje. Inovações em inteligência artificial, por exemplo, tendem a reverter quase tudo em nossas vidas, inclusive em nossas casas.

    Casa Inteligente: Inteligencia Artificial, limpeza por aspiradores inteligentes, cão robótico para crianças, móveis robóticos

    Você já pode estar usando algum tipo de dispositivo de assistente de voz com inteligência artificial para obter as últimas notícias ou previsão do tempo todas as manhãs. Mas na casa inteligente do futuro, essas plataformas de IA podem servir como cérebro para casas inteiras, aprendendo sobre os residentes e coordenando e automatizando todos os seus vários dispositivos inteligentes.
    A empresa de IoT Crestron, por exemplo, está trabalhando em um software que rastreia os hábitos de uma pessoa, como quais músicas eles querem ouvir de manhã ou quais luzes desejam acender a uma determinada hora do dia. Em seguida, depois de entender as preferências de um usuário, ele reproduz automaticamente apenas as listas de reprodução corretas ou diminui as luzes antes de dormir. "Esse é realmente o próximo passo evolutivo na verdadeira automação residencial", diz John Clancy, diretor de negócios residenciais da Crestron.

    Os robôs também terão um papel a desempenhar na casa inteligente do futuro. Aspiradores inteligentes como o Roomba da iRobot já estão nos seguindo, enquanto produtos como o Aibo, um cão robótico para crianças, mostram como eles podem ajudar a nos fazer companhia como um animal de estimação. Quanto ao futuro? A empresa de móveis robóticos Ori Living está trabalhando com a Ikea em peças que mudam de acordo com suas necessidades, deixando a cama fora do caminho quando você precisa de uma mesa ou escondendo o armário quando é hora do jantar.

    A empresa de design Design3 recentemente mostrou um conceito de robô para casa inteligente, o CARL. O bot coberto de tecido deve rolar lentamente pela sua casa, ativando suas câmeras e sensores retráteis para detectar intrusos, notificá-lo sobre quaisquer emissões nocivas ou manter um olho em seu animal de estimação. E a empresa de computação gráfica Nvidia está trabalhando em um braço robótico inteligente que pode atuar como sous chef pessoal de seu proprietário, fazendo de tudo, desde fatiar e picar vegetais até ajudar na limpeza; pode ser particularmente útil para pais ocupados ou usuários com deficiência. Se um dispositivo desse tipo entrar em produção, câmeras e sensores podem ajudar a impedir que acidentalmente machuque um espectador inocente que está a caminho da geladeira para um lanche rápido antes da hora do jantar.

    Automação Residencial: Aplicativos de saúde nas geladeiras, sensores de condição de saúde no banheiro

    Os aplicativos de saúde impulsionarão pelo menos parte do crescimento das residências inteligentes na próxima década. Câmeras e sensores embutidos em geladeiras sugerem alternativas mais nutritivas se as pessoas estiverem buscando os refrigerantes açucarados com muita frequência. Tecnologia semelhante em armários de medicamentos verificará se os residentes fizeram suas prescrições. E até os sensores aparecem nos banheiros para verificar se há sinais de possíveis condições de saúde, examinando o lixo humano antes que ele seja liberado. A empresa de acessórios para banheiros Toto experimentou banheiros com amostras de urina, enquanto uma empresa registrou patentes para dispositivos, incluindo um espelho, destinado a monitorar a saúde dos usuários apenas analisando sua pele. Os lares também terão sensores de saúde que verificam problemas como danos causados ​​pela água, infestação de pragas etc.

    Todo esse aprendizado e varredura que a casa inteligente do futuro estará fazendo pode, de maneira compreensível, levantar preocupações com a privacidade. De fato, alguns dispositivos de casa inteligente já foram direcionados por hackers, seja para acessar os dados que eles mantêm ou para usá-los como ferramentas em esquemas maiores de segurança cibernética. Em 2016, os hackers assumiram centenas de milhares de dispositivos IoT inseguros e os usaram para enviar tráfego falso da Internet para sites-alvo, na esperança de derrubá-los; o incidente prejudicou temporariamente as conexões com a Internet em partes da América do Norte e Europa. A regulamentação do governo também está em andamento. Um projeto de lei apresentado pelo senador da Virgínia Mark Warner em março levaria o governo a estabelecer requisitos mínimos de segurança para dispositivos inteligentes usados ​​por agências federais; esses requisitos podem eventualmente se tornar padrão para o setor em geral.

    É mais provável que você acabe em uma casa conectada um dia, quer queira ou não. O arquiteto Michael Gardner, fundador da empresa de construção Luxus Design Build, diz que as casas estão sendo construídas cada vez mais "inteligentes" desde o início. "É uma parte tão integral da casa que a projetamos desde o início, onde a tecnologia anterior sempre foi uma reflexão tardia", diz ele. Por fim, dizem os especialistas, as pessoas verão a tecnologia de residências inteligentes tão essencial quanto eletricidade, refrigeração ou ar-condicionado. A tecnologia de residências inteligentes e os dados coletados "serão como um encanamento", diz Cooley, da fabricante de componentes eletrônicos Silicon Labs. "Você vai confiar nisso."

    Fonte:

    https://idautomacao.com.br

  2. #2
    Matéria muito interessante, acredito que no futuro o caminho seja esse mesmo com mais propagação do IoT.

Tópicos Similares

  1. De volta pro futuro: A internet em alguns anos
    Por Leo19 no fórum Mundo Vivo
    Respostas: 9
    Último Post: 04-08-19, 06:11 PM
  2. Como alterar Vivo Empresa para Residencial?
    Por Aldighieri no fórum Ajuda
    Respostas: 4
    Último Post: 25-11-15, 10:24 AM