PDA

Ver Versão Completa : Testes de conexão 4,5G em Goiás comprovam mais velocidade; UOL testou



Josemsud
19-12-15, 01:45 AM
http://tvuol.tv/bddmDG


A Claro deu início aos testes para ampliar a velocidade e a abrangência da internet móvel. A tecnologia denominada 4,5G, segunda a operadora, é em média 45% mais rápida do que a 4G. O projeto piloto foi desenvolvido em Rio Verde (GO), mas só deve chegar ao consumidor final em 2016.

Enquanto a rede 4G possibilita uma conexão de até 100Mbps, a 4,5G pode chegar a 300 Mbps. O UOL mediu a velocidade da nova tecnologia com o app SimetMobile, que chegou a alcançar 166 Mbps para download. "Temos que considerar que a rede está fora de uso, por isso os altos índices alcançados. Mas, diante da demanda o número será um pouco menor", ponderou André Sarcinelli, diretor de Engenharia da Claro.

Já a capacidade de download em um smartphone conectado à rede 4G da Vivo, por exemplo, chegou a 45 Mbps. Média superior à alcançada em uma rede 4G da TIM, que foi de cerca de 10 Mbps.

http://imguol.com/c/noticias/e8/2015/12/17/veja-o-teste-de-velocidade-da-rede-45g-da-claro-esquerda-em-comparacao-com-o-4g-da-vivo-centro-e-da-tim-direita-1450390633329_615x300.jpg
Veja o teste de velocidade da rede 4.5G da Claro (esquerda) em comparação com o 4G da Vivo (centro) e da TIM (direita)

A conexão 4.5G também se mostrou mais rápida na abertura de um vídeo 4K. A diferença em relação a um aparelho conectado na rede 4G foi de cinco segundos.

Agregação de frequências

O upgrade alcançado pela Claro foi viabilizado a partir da agregação de três frequências: 2.600, 1.800 e 700 MHz, esta última ainda ocupada pelo sinal analógico, apesar de já ter sido leiloada para as operadoras em 2014. "O uso da frequência de 700MHz é um passo importante para o aprimoramento do 4G e para evolução do 5G", afirma Carlos Zenteno, CEO da Claro.

Segundo Zenteno, além do aumento da velocidade, o uso da frequência possibilita ampliar a capacidade do alcance da rede e melhora o sinal indoor --cobertura em locais fechados.

Vale lembrar que a frequência de 700 MHz só deverá ser totalmente liberada a partir do desligamento do sinal de televisão analógico, que está previsto para 31 de dezembro de 2018. O cronograma da digitalização da TV, no entanto, já começou com atrasos.

Ainda assim, a Claro afirma que pretende colocar a rede 4,5 G a disposição do consumidor a partir de 2016. "A princípio apenas com o uso das frequências 1.800 Mhz e 2.600 MHz. Mas a medida que a 700 MHz for sendo liberada vamos expandindo-a. Tecnologia já temos", disse Zenteno.

O consumidor deverá, no entanto, obter um smartphone compatível a agregação das três frequências, algo que ainda não existe no mercado brasileiro.
Alcance do 4G

Segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), em setembro de 2015, cerca de 10% dos acessos de banda larga móvel feitos no Brasil usam a rede 4G.

Leia mais em UOL Tecnologia (http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/12/18/teste-de-conexao-45g-em-goias-comprova-mais-velocidade-uol-testou.htm)

Juvenil-Wille
20-12-15, 05:22 PM
Segundo Zenteno, além do aumento da velocidade, o uso da frequência possibilita ampliar a capacidade do alcance da rede e melhora o sinal indoor --cobertura em locais fechados.

Vale lembrar que a frequência de 700 MHz só deverá ser totalmente liberada a partir do desligamento do sinal de televisão analógico, que está previsto para 31 de dezembro de 2018. O cronograma da digitalização da TV, no entanto, já começou com atrasos.

Ainda assim, a Claro afirma que pretende colocar a rede 4,5 G a disposição do consumidor a partir de 2016. "A princípio apenas com o uso das frequências 1.800 Mhz e 2.600 MHz. Mas a medida que a 700 MHz for sendo liberada vamos expandindo-a. Tecnologia já temos", disse Zenteno.

O consumidor deverá, no entanto, obter um smartphone compatível a agregação das três frequências, algo que ainda não existe no mercado brasileiro.
Alcance do 4G

Segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), em setembro de 2015, cerca de 10% dos acessos de banda larga móvel feitos no Brasil usam a rede 4G.

Leia mais em UOL Tecnologia (http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/12/18/teste-de-conexao-45g-em-goias-comprova-mais-velocidade-uol-testou.htm)

Portanto teremos de adquirir um novo aparelho, gerando mais lucro para as operadoras, que no final não ampliarão a rede e vai continuar tudo como antes.

sehneml
20-12-15, 10:48 PM
que no final na verdade é o mesmo 4G so que sem limite de velocidade, assim como fizeram com o 3G Plus, so tiraram o limite imposto por eles mesmos