PDA

Ver Versão Completa : Afinal, quem está por trás dos emails fraudulentos que você recebe?



Josemsud
21-12-17, 09:19 PM
https://t.tudocdn.net/309002?w=646&h=284


Que atire a primeira pedra quem nunca recebeu um email suspeito, geralmente escrito na língua inglesa, lhe avisando sobre a possibilidade de receber uma fortuna totalmente inesperada. Talvez você seja o único sucessor de um nobre estrangeiro e não sabia disso. Talvez a sua família tenha direito a uma compensação financeira milionária. Ou talvez você seja apenas um sortudo escolhido por um guerrilheiro para cuidar do dinheiro dele até que as coisas se acalmem no país em que ele está lutando.

Bom, nenhuma dessas hipóteses costuma ser verdadeira. Esse tipo de mensagem, que geralmente é encaminhada diretamente para a pasta de spam do seu servidor de email, nada mais é do que um estelionato online que visa enganar internautas desavisados. Esse tipo de crime cibernético é extremamente antigo, existindo desde os primórdios da popularização da banda larga, mas nem por isso a sua incidência tem diminuído com o passar do tempo. Pelo contrário: ela só tende a aumentar.

Mas, afinal, como tais fraudes funcionam? Como identificá-los e preservar sua segurança? E, por último, mas não menos importante: quem está por trás disso tudo e por quê? Nesta edição do Detetive TudoCelular (https://www.tudocelular.com/detetive-tudocelular/), vamos falar sobre uma verdadeira indústria do crime que se aproveita da internet para aplicar golpes a nível internacional — e, acredite, a origem de tais meliantes digitais vai deixá-lo impressionado.


https://t.tudocdn.net/309001?w=660&h=411
Golpe é clássico, mas ainda faz vítimas

Como o golpe funciona

Esse é o tipo de fraude pela qual quase todo internauta já passou — alguns caem, alguns não e vários outros nem sequer percebem que foram vítimas de uma tentativa de estelionato. Felizmente, por conta do avanço nas tecnologias automatizadas de detecção de spam, a maioria dos serviços de email disponíveis atualmente (como Gmail e Outlook) já fazem a maior parte do trabalho bloqueando tais mensagens para o usuário final, mas vez ou outra eles acabam deixando algo passar.

Em suma, nesses golpes, a vítima recebe um email (quase sempre em um inglês culto e ortograficamente correto) lhe oferecendo altas quantias de dinheiro. Do outro lado do PC, o criminoso pode se passar por diversos personagens: o representante de uma loteria, um herdeiro de uma família nobre, um soldado lutando em terras distantes etc. Os motivos são variados, mas a mensagem tem sempre o mesmo cerne: alguém tem muito dinheiro e quer transferi-lo para você.

E é aí que começa a enganação. Para receber esse valor, a vítima precisa arcar com alguma taxa, cuja justificativa é igualmente variável. Acontece que, depois de arcar com essa tarifa, o criminoso some do mapa, levando o investimento do internauta enganado e jamais lhe recompensando com a quantia prometida.


https://t.tudocdn.net/308999?w=660&h=435
Golpes prometem dinheiro fácil, mas exigem pagamento de taxa

Conversando com o criminoso e identificando a fraude

Para exemplificar aos nossos leitores como tais spams fraudulentos funcionam e como você pode identificar as características de um golpe, resolvemos fingir que estávamos caindo em uma dessas farsas para ver até onde o criminoso pode chegar. Vale lembrar que não recomendamos que você mantenha contato com o remetente de um email suspeito e que a interação a seguir foi mantida para fins exclusivamente jornalísticos.

O estelionatário fez contato conosco no dia 27 de novembro, usando o email mrsagathawilson58@yahoo.in e afirmando ser Michael Soma, coordenador de pagamentos da UNCC (United Nations Compensation Comission, ou Comissão de Compensação das Nações Unidas), órgão criado em 1991 para oferecer compensação financeira às famílias afetadas pela invasão das forças iraquianas ao Kuwait.


https://t.tudocdn.net/308978?w=660&h=336

Michael oferece um cartão de crédito internacional com US$ 4,8 milhões (ou R$ 15,8 milhões) em créditos em nosso nome, ignorando o fato de que não somos kuwaitianos e consequentemente jamais poderíamos receber valor algum do órgão referido. Com o suposto objetivo de emitir o cartão, o estelionatário nos pede nome completo, endereço e telefone para contato. No dia 5 de dezembro, respondemos ao email informando dados falsos.

No dia seguinte (6 de dezembro), Michael nos retorna alegando que o cartão já foi aprovado. Porém, eis o pulo do gato: o golpista requisita o pagamento de uma taxa de US$ 380 (R$ 1,2 mil) para cobrir os custos do envio através da transportadora DHL, prometendo que o dinheiro chegará em nossa casa em até quatro dias úteis. Michael pede que confirmemos nosso interesse; enviamos um email respondendo que topamos pagar a tarifa.


https://t.tudocdn.net/308982?w=660&h=301

O golpe é confirmado quando o criminoso nos retorna com os dados para o pagamento. A transferência deve ser feita via Money Gram (uma plataforma online para envio e recebimento de valores) em nome da conta de Chima Ibeh, residente da cidade de Cotonou, na República de Benim. Michael (ou Chima) ainda detalha que o pagamento deve ser feito no mesmo dia e que precisamos "ter cuidado" para não errar os dados durante a transferência, enviando, em seguida, o comprovante do depósito.


https://t.tudocdn.net/308983?w=660&h=302

Ainda questionamos o fato de que a UNCC é uma organização sediada na Suíça, mas Michael insiste no golpe nos dizendo que quem aprovou nossa compensação foi a divisão de Benim; porém, o país africano não possui representação alguma do órgão. Este foi o último email que trocamos com o estelionatário.


https://t.tudocdn.net/308984?w=660&h=307

Benim, o novo paraíso de cibercriminosos

Esse tipo de golpe era comumente praticado por internautas da Nigéria — tanto que o modelo ficou conhecido como "golpe 419", sendo que tal número se refere ao crime de estelionato no código penal do país. Porém, nos últimos tempos, os holofotes têm se direcionado para um pequeno país também localizado na África ocidental: a República de Benim, que faz fronteira com a Nigéria pelo leste.

A situação do cibercrime em Benim é tão grave que, em agosto deste ano, a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) emitiu um alerta (https://www.osac.gov/pages/ContentReportDetails.aspx?cid=21802) em parceria com a Embaixada dos Estados Unidos em Cotonou a respeito do aumento desse tipo de crime na região.

O crime cibernético é uma preocupação. A embaixada frequentemente recebe avisos de americanos que se tornaram vítimas de scams financeiros online originários de Benim. Esses golpes geralmente envolvem um 'artista' tentando convencer a vítima a lhe enviar dinheiro. Esses esquemas fraudulentos podem incluir sorteios, sites de relacionamento, supostas heranças, ofertas de emprego, pagamentos bancários e até mesmo pedidos amigáveis de ajuda.


https://t.tudocdn.net/308988?w=640&h=360
Criminosos utilizam lan houses para praticar os golpes

Por ser um país com baixos índices de penetração de novas tecnologias, poucas famílias possuem um computador pessoal e acesso à internet em suas residências. Sendo assim, os criminosos geralmente se dirigem até lan houses e pasam o dia inteiro enviando emails (ou solicitações de mensagens no Facebook) tentando enganar novas pessoas. A seleção de vítimas é aleatória e engloba pessoas do mundo inteiro.

De acordo com uma investigação jornalística feita pelo site Biztechafrica (http://www.biztechafrica.com/article/benins-internet-cafes-become-headquarters-cybercri/8013/), o crime é "visível" e, mesmo assim, é raro que a polícia local ou donos dos estabelecimentos façam algo para inibir a prática. Ao conceder entrevista para o veículo, o gerente de um cyber café negou estar "apoiando" os estelionatários.

Porque as pessoas dizem que nós estamos colaborando com eles? Francamente, eu não sei o que esses indivíduos fazem com o tempo deles, mas o que eu tenho certeza é de que eles compra muitas horas e estão entre os nossos consumidores mais fieis. Eu não sou um policial, então eu não posso prendê-los.


https://t.tudocdn.net/308998?w=660&h=287
Porto em Cotonou, cidade de Benim na qual o cibercriminoso tentou nos enganar

Como posso me proteger?

Acredite ou não, mas centenas de brasileiras ainda caem nesse tipo de golpe. Em julho deste ano, a Receita Federal divulgou que diversas mulheres chegaram a fazer transferências de mais de R$ 20 mil para africanos após serem enganadas com perfis falsos em sites de relacionamentos. Além disso, com a crise financeira que abala o nosso país, é natural que mais internautas se sintam seduzidos com propostas de dinheiro rápido, aumentando a incidência desses crimes.

As dicas do TudoCelular para evitar cair em tais golpes são simples:


Preste atenção aos detalhes. Ao receber uma mensagem suspeita, compare o endereço de email do remetente com quem ele afirma ser. No nosso caso, o endereço mostrava um nome diferente do exibido no conteúdo da conversa;
Sempre pesquise a real existência de órgãos, empresas, hospitais ou quaisquer outros estabelecimentos que o golpista cite durante o bate-papo ou afirme representar (como a UNCC, que não possui representação em Benim);
Jamais transfira dinheiro para pessoas desconhecidas, especialmente por plataformas que dificultem o rastreio da outra parte envolvida;
Não informe dados pessoais como ninguém, visto que informações cadastrais e documentos podem ser usados para outros golpes futuramente.

Na dúvida, se você identificar uma tentativa de golpe, exclua o email e evite manter contato com o golpista.


Fonte: TudoCelular (https://www.tudocelular.com/tech/noticias/n116075/quem-envia-emails-fraude-golpe-detetive.html)

armando17
22-12-17, 12:21 PM
Eu nem abro esses emails, excluo logo