PDA

Ver Versão Completa : Claro é a empresa privada que mais deve receber da união por serviços de ti no ano



Josemsud
05-09-17, 08:56 PM
http://i1.wp.com/www.telesintese.com.br/wp-content/uploads/2014/03/shutterstock_Vladnik_Imposto_negocios_desempenho_e conomia_balanco_mercado.jpg?w=500

União tem empenhado o gasto de R$ 176 milhões. As estatais Serpro e Dataprev vão receber quase dez vezes mais.

DA REDAÇÃO


A União tem um orçamento de R$ 5,5 bilhões para gastar com tecnologia da informação (TI) neste ano. Do total, já empenhou R$ 4,36 bilhões. E dentro desses valores, seus principais fornecedores serão o Serpro, a Dataprev (ambos estatais), e a Claro.

Mas ainda não se sabe de o governo vai de fato gastar o dinheiro previsto no orçamento. Isso porque, além de o valor empenhado já ser mais baixo que o do orçamento, o dinheiro gasto é apenas uma fração do total. Até o momento, R$ 860 milhões foram efetivamente pagos aos fornecedores.


Quanto cada empresa recebeu

A diferença entre os valores, no entanto, são gigantescas. O Serpro deve receber este ano R$ 1,17 bilhão. A Dataprev, quase metade disso, ou R$ 546 milhões. A Claro, por sua vez, tem contratos de R$ 176,74 milhões.

No ranking de órgãos, o Ministério da Fazenda se destaca como o que mais gastou com TI, com registro de mais de R$ 2,2 bilhões em 2017. Atrás dele, está o Ministério da Saúde, com R$ 557,6 milhões, aproximadamente, seguido do Ministério da Educação, com um gasto de cerca de R$ 547,3 milhões.

Os números fazem parte do Painel Gastos de TI (http://paineis.cgu.gov.br/gastosti/index.htm), uma ferramenta de transparência lançada hoje, 05, pela Controladoria-Geral da União (CGU). O Painel consolida mais de R$ 24 bilhões empenhados pelos órgãos e entidades do Governo Federal desde 2014.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, por exemplo, prevê orçamento de R$ 141,4 milhões neste ano. Até agora, gasto R$ 9,32 milhões, e empenhou R$ 87,3 milhões. Ano passado, o orçamento era de R$ 132 milhões, dos quais R$ 50,7 milhões foram gastos e R$ 116 milhões empenhados.

A Claro é a maior fornecedora para o MCTIC, com contratos de R$ 15,43 milhões neste ano. Em seguida vêm CTIS (R$ 13,23 milhões) e Central IT (R$ 12,7 milhões).


Fonte: TeleSintese (http://www.telesintese.com.br/claro-e-empresa-privada-que-mais-deve-receber-da-uniao-por-servicos-de-ti-no-ano/)

andersonfariah
05-09-17, 10:48 PM
Pô a Claro recebe tanto dinheiro e parece que parou no tempo e quase não investe mais em expansão e infraestrutura, chega ser absurdo isso.

Vítor
06-09-17, 02:06 AM
Pô a Claro recebe tanto dinheiro e parece que parou no tempo e quase não investe mais em expansão e infraestrutura, chega ser absurdo isso.

Não concordo com isso. A Claro, por exemplo, foi a primeira a lançar o 4,5G no Br (Ou 4G+ na Vivo) e está investindo bastante em serviços próprios como o Claro Music e Claro Vídeo para agregar aos planos e além de que aqui na Bahia ela é a única com cobertura em todas as 417 cidades.

É verídico que Vivo tem muuuuito mais cobertura 4G aqui na BA, infelizmente, mas isso não quer dizer que a Claro não está investindo.

E tem a questão dos planos dela que estão simplismente IMBATÍVEIS!!! Já vi várias pessoas migrando pra ela depois desse novo portifólio (Eu por exemplo fui um dos)

andersonfariah
06-09-17, 09:02 AM
VITOr o que eu quero dizer é que a Claro parou no tempo em relação a expansão da tua rede , pode procurar na internet e veja quem são as operadoras que mais investem em cobertura 4g por exemplo, melhoria do sinal de rede e etc . A Tim foi a primeira a adquirir a frequência 700mhz liberada este ano pela tv analógica , a vivo sempre vejo algo de melhoria para as cidades mais distantes dos grandes centros do Brasil, já a Claro realmente tem o 4G mais rápido , mas as pessoas reclamam muito do sinal de rede em locais que deveriam ter.

- - - Updated - - -

Ah e eu gosto bastante da claro tb, inclusive foi meu primeiro telefone celular

Deystan
06-09-17, 09:46 AM
Rapaz é tanto dinheiro que o Brasil gasta com coisas que nem sabemos , garanto que a maior parte desses valores são superfaturamentos.