PDA

Ver Versão Completa : 10 personagens coadjuvantes que roubaram a cena



andrefbr
24-08-17, 04:53 PM
Alguns protagonistas ficam marcados para sempre na história do cinema! Mas existem grandes personagens que eles encontram em suas jornadas e se tornam ainda mais amados!

Relembre 10 dos melhores!



Coringa (Heath Ledger) em Batman - O Cavaleiro das Trevas (2008)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_UAYZKMeXQ8WfbJRk5xEaHoT2ljVsOmi39uz0DrpcwL. png

Ninguém esperava nada quando Heath Ledger foi anunciado para o papel de Coringa em Batman - O Cavaleiro das Trevas.

Já conhecido por filmes mais leves como "10 Coisas que Eu Odeio em Você", "Casanova" e "O Segredo de Brokeback Mountain", a internet havia se mobilizado para odiar o ator no papel do vilão mais odiado/amado da DC muito antes dele gravar qualquer cena do longa.

Mas para a surpresa geral da nação, Heath Ledger foi incrível do inicio ao fim e toda vez que aparecia nas telonas o público inteiro se esquecia que o filme era do Homem Morcego e não do Coringa.

Ele foi tão incrível que, mesmo depois da morte trágica, levou o Oscar pelo papel.




Mary (Mo'Nique) em Preciosa - Uma História de Esperança (2009)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_ZdyW_XfFm5sJ0COzk7oRYc9jhHalv4VxIGD8Nb2tBn. png

Em 2009, toda premiação cinematográfica que aconteceu tinha o nome de Mo'Nique em destaque.

A sua atuação no papel de Mary, em "Preciosa - Uma História de Esperança", foi tão forte que ela recebeu mais de 30 prêmios.

A parte triste é que depois deste filme a atriz afirma ter sido boicotada em Hollywood e praticamente sumiu das produções cinematográficas.




Coronel Hans Landa (Christoph Waltz) em Bastardos Inglórios (2009)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_CnulsOLpF9W_DPE0SgzeaZHUyd1v3RMxVKqo4I5jtB. png

O austríaco Christoph Waltz foi descoberto por Quentin Tarantino para o papel do sádico coronel nazista Hans Landa.

Que, com uma seleção dessas, não se espera menos do que um ator muito muito talentoso.

Waltz mostrou um domínio impressionante dos diálogos e, desde então, ficou super conhecido pelos tipos malvados e carismáticos em filmes como "Django Livre", "Água Para Elefantes" e "007 Contra Spectre".




Loki (Tom Hiddleston) em Thor (2011)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_5I1CNGip67hx_HbUtefaA82jVyJQBKLMlgkDvcETn0. png

Loki é o vilão que todos amamos odiar.

Com um personagem muito mais carismático do que o do irmão, Thor, interpretado por Chris Hemsworth, o Loki de Tom Hiddleston roubou todas as cenas que apareceu com seu sarcasmo e ironia.

E o vilão acabou conquistando muito mais fãs do que deveria!

Tanto que os roteiristas de "Thor: O Mundo Sombri"o aumentaram sua participação na sequência e, sem surpresa alguma, ele está garantido em "Thor: Ragnarok" também.




Olive (Abigail Breslin) em Pequena Miss Sunshine (2006)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_3oCDKEnh2fxMiSe_T6O9JtyQvLkWurI7sRAXHUFpjG. png

Atores mirins tendem a impressionar. Seja pela atuação desastrosa e traumatizante que levam muitos a se aposentarem cedo demais na indústria do cinema, ou pela ascensão gloriosa.

Abigail Breslin, ainda muito nova, foi um achado dos estúdios no papel de garotinha eufórica e meio deslocada que viaja com a sua família excêntrica rumo a um concurso de beleza mirim e garantiu sua vaguinha no mundo do cinema.

Mesmo sendo tão nova e dividindo as telonas com grandes atores como Alan Arkin, Toni Collette e Steve Carell, ela não deixou nada a desejar e roubou a cena inteirinha para ela.




Zé Pequeno (Leandro Firmino da Hora) em Cidade de Deus (2002)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_rmZGXTL9ehPW3J7liFNgpjtBwSnV1daOzfRK6uD_4M. png

Quem se lembra do personagem principal do filme, Buscapé, quando Zé pequeno entrava em cena em "Cidade de Deus"?

Com suas frases marcantes como "Dadinho o ca**lho, meu nome é Zé Pequeno, po**a!" e várias sequências fortes de cenas violentas, Leandro Firmino é o primeiro rosto que vem a cabeça dos brasileiros quando falamos do filme.




Darth Vader (James Earl Jones) na trilogia Star Wars

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_83MHTkAEij1l2KbXpadJqthzexOGfCy_PIuR4o9BZg. png

James Earl Jones nem precisou mostrar o rosto para ficar marcado para sempre pelo papel de Darth Vader em Star Wars.

O personagem que era para ser o mais odiado do filme, se tornou um dos mais aclamados e adorados vilões da história do cinema. E o vozeirão de James Earl Jones foi fundamental para criar a imagem deste personagem assustador.

Existem rumores que, durante a produção, no entanto, Jones pediu para não ter o seu nome incluído nos créditos, para não ficar marcado por este papel tão emblemático, o que claramente não saiu como ele planejou.




Dory (Ellen DeGeneres) em Procurando Nemo (2003)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_fAD2zCJPu_m6Ih8BkwaV7Y1nOZtUdGQKsryqE40N9F. png

Dory foi tão carismática e envolvente durante "Procurando Nemo", que a sequência do filme carrega o nome dela.

Com a sua amnésia, seu "baleiês" e suas musiquinhas cativantes ("Continue a nadar!"), ela foi de longe a melhor parte do primeiro filme inteiro.




Miranda Priestly (Meryl Streep) em O Diabo Veste Prada (2006)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_T8cxPB1mjCKlUG9z3NWDstQ7g0bFEHRfSdMIyeqhoX. png

Ok, com Meryl Streep no papel fica difícil não ser um personagem incrível. Mas ela sempre pode nos surpreender mais do que o esperado. Até quando o filme não é sobre ela, a atriz consegue roubar a cena.

Com uma vilã divertida e inesperada em "O Diabo Veste Prada", ela cativou com uma chefe malvada. Ao invés de gritar com sua nova assistente Andrea, interpretada por Anne Hathaway, mantém seu tom de voz baixo, simples e destila veneno com um olhar de desprezo tão cruel que você nem sabia que existia.

Mesmo assim, você adora a vilã que consegue comover a todos quando mostra o seu lado humano. Mas, novamente, é a Meryl Streep. E ela até consegue nos fazer sentir pena de uma víbora como a Miranda.




Rainha Elizabeth (Judi Dench) em Shakespeare Apaixonado (1998)

https://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2017/08/legiao_1vJPWwCTkb2RAKcg8HQhuV5_apIXUoj0dqe3lrnGsm. png

Pra ganhar um Oscar pelo papel com míseros seis minutos na tela tem que ser realmente incrível, não é?!

Essa foi a proeza que Judi Dench conseguiu fazer com o papel de Rainha Elizabeth em "Shakespeare Apaixonado".

O drama de época estrelado por Gwyneth Paltrow e Joseph Fiennes é marcante para toda uma geração e algumas das cenas excepcionais desse filme pertencem a atriz, como a cena da poderosa rainha atravessando as poças d'água.




Fonte: Legião dos Herois

Boqertov
24-08-17, 09:24 PM
Outros atores o baralho, top mesmo é o Zé pequeno!! Hahahahaha

A Meryl Streep também divou como Miranda, amo o filme, amo ela. Agora, o Heath marcou história eternamente como Coringa, arrebentou, maaaas prefiro o "Coringa sexy" do Leto!!! xD hahahahahah

Deystan
25-08-17, 10:21 AM
Rapaz , que lista.

angelojunior
25-08-17, 01:28 PM
Excelente lista!
O Coringa do Ledger é espetacular mesmo.
A Dory é grande parte do êxito de Nemo.
A Mo'nique me deu arrepios em Preciosa.
E o Christoph Waltz é sempre um senhor ator.

_Bruna
25-08-17, 02:18 PM
Mirando rainha! Até agora não me conformo com o fato de que não tem continuação de O Diabo Veste Prada :(

andrefbr
28-08-17, 07:36 AM
Mirando rainha! Até agora não me conformo com o fato de que não tem continuação de O Diabo Veste Prada :(

Às vezes um filme tem uma história tão bem amarradinha que não precisa de continuação. Tipo "Os Goonies" e "Uma cilada para Roger Rabbit" que, por acaso, têm coadjuvantes que quase roubaram a cena: Sloth e Jessica Rabbit.

AlexMonreal
28-09-17, 03:12 PM
(Meryl Streep) em O Diabo Veste Prada é meu favorita!! Eu sinto que no filme de aconteceu o mesmo, mas com os animais, já que, na minha opinião, eles eram mais impressionantes que o mesmo argumento do filme, embora não deixassem tanto